Chamam-lhe batata, mas é na verdade uma raiz de elevado valor nutricional para a saúde. Aljezur dedica-lhe um festival, no qual a doce raiz tuberosa é recriada pelos Chefs da casa. 

O maior festival gastronómico de outono no sul de Portugal, o Festival da Batata-doce de Aljezur, decorre normalmente no final de novembro, nessa vila algarvia. O evento desperta os sentidos e determina uma visita obrigatória ao coração da Costa Vicentina. 

A lira protegida  

É em Aljezur que este alimento reúne os requisitos para ser produzido em condições “inimitáveis”. Em 2009, a associação que representa os produtores de Aljezur obteve a certificação de IGP. A batata-doce, com selo de garantia, está circunscrita às freguesias de São Teotónio, São Salvador, Zambujeira do Mar, Longueira/Almograve e Vila Nova de Milfontes. A lira é colhida apenas uma vez por ano, entre setembro e meados de novembro, sendo fornecida com qualidade até abril.  

As particularidades do solo e do clima resultam num produto com sabor e texturas ímpares, que dão lugar às mais variadas recriações gastronómicas. É mais doce, apresenta uma textura pouco fibrosa e macia e quando comida crua o seu sabor assemelha-se ao da castanha. Doce ou salgada, a aplicação da batata-doce na cozinha contemporânea é hoje uma realidade presente em cozinhas de todo mundo, inclusive, pelas mãos dos mais conceituados chefes. 

A batata que faz bem à saúde 

Os consumidores reconhecem-lhe características singulares e os nutricionistas defendem que se trata de um produto com elevado interesse nutricional. Tem baixo índice glicémico, ajuda a controlar a diabetes, facilita o emagrecimento e previne a anemia. Reduz o colesterol, regula a pressão arterial e fortalece o sistema imunológico. É uma importante fonte de carboidratos complexos, de ferro, cálcio, vitaminas A, C e E, e desempenha um importante papel na formação de colagénio.  

 

Latest Stories

Nossa Senhora dos Navegantes

Uma das características mais românticas do Red Chalet é uma história que o liga à igreja do outro lado da praça. 

O maior recife natural de Portugal

O recife de Armação de Pêra é o maior recife natural de Portugal e estima-se que tenha mais de 25 mil anos. Outrora parte da costa original do Algarve, acredita-se que abrigue 70% das espécies indígenas da costa. Quarenta e cinco destas espécies foram apenas recentemente descobertas em Portugal e, incrivelmente, 12 delas a nível mundial.

Capela dos Ossos, Alcantarilha

Portugal é lar de várias capelas de ossos, uma das quais fica a uma curta distância de carro do Red Chalet, e pode ser encontrada atrás da igreja da pequena aldeia de Alcantarilha.

In partnership with:

PURE Life Experiences